sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Convocação Urgente

Lembra-te também do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento" (Eclesiastes 12:1).

O fabricante de todos os seres humanos está convocando as peças fabricadas, independente da marca ou ano, devido a um grave defeito no componente principal e central do coração, ocorrido nas unidades originais chamadas Adão e Eva, resultando na reprodução dos mesmos em todas as unidades subseqüente.

Este defeito foi tecnicamente denominado, "Amoralidade Subseqüente Interna" ou como é mais conhecido por

PECADO (Peça Enfraquecida Com Anomalias Detectadas no Original), cujo sintoma principal é a perda de julgamento moral.

Outros sintomas:
a.. Perda de direção
b.. Emissões vocais sórdidas
c.. Amnésia da origem
d.. Falta de paz e alegria
e.. Comportamento egoísta ou violento
f.. Depressão ou confusão no componente mental
g.. Medo
h.. Idolatria

O fabricante, que não é responsável ou culpado por este defeito, fornece conserto e serviço, gratuito, para corrigir o problema PECADO.

O número do telefone da oficina mecânica em sua área é: ORAÇÃO

Quando estiver conectado, por favor "upload" seu fardo de PECADO pressionando ARREPENDIMENTO.Depois, download JESUS no coração.

Não importa o tamanho do defeito PECADO; grande ou pequeno, DEUS o substituirá por:
a.. Amor

b.. Alegria

c.. Paz

d.. Temperança

e. Delicadeza

f.. Bondade

g.. Fé

h.. Humildade


Por favor, veja o manual de instruções, a Bíblia Sagrada, para maiores detalhes.

Aviso: Continuar a operar a unidade humana sem correção, anula a garantia do fabricante, expondo o proprietário a perigos e problemas numerosos demais para uma listagem e a unidade humana será permanentemente recolhida do mercado.

PERIGO: As unidades humanas que não atenderem a esta convocação terão que ser jogadas no alto forno.

O defeito PECADO não poderá entrar no céu porque, caso contrário, o céu ficará contaminado! !
Autor: Seu Criador

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Frases e Pensamentos

"Um grama de testemunho vale mais que uma tonelada de propaganda."
William W. Ayer
======================================================================
"Perdoe e esqueça. Quando você enterra um cão raivoso, nunca deixa a cauda dele de fora."
Charles H. Spurgeon
======================================================================
"Quem controla as suas palavras é sábio e quem mantém a calma mostra que é inteligente."
Pv. 17:27
======================================================================
"Não é o que você deseja fazer, mas o que você faz para Deus que transforma a sua vida."
Henrietta C. Mears, autora de Estudo panorâmico da Bíblia
======================================================================
"Os vasos vazios são os que fazem mais barulho"
William Shakespeare
====================================================================
"De que adiantará um olho que vê se o coração for cego?"
Solomon Ibn Gabirol
====================================================================
"Nunca oro suplicando cargas mais leves, mas ombros mais fortes".
Phillips Brooks
====================================================================
"Quase todos os homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder"
Abraham Lincoln
====================================================================
"Eu adoro o Diabo, Belzebu, Satan, Lucifer - em todas suas formas profanas. E eu devo todo meu sucesso, toda minha glória, todo meu poder, para meu doce e belo Lucifer."
J. K. Rowlings, autora da série Harry Potter
==============================================================
"Homens de verdade vivem para Cristo"
Chuck Norris (ator e empresário)
====================================================================
“O maior presente que Deus deu ao homem foi a Bíblia e a pureza das suas palavras”
Abraham Lincoln
====================================================================
“É impossível governar o mundo sem Deus e sem a Bíblia”
O Primeiro Presidente do E.U.A.
====================================================================
“Cem anos depois de minha morte não haverá mais cristãos, não haverá mais Bíblias, não haverá mais a Palavra de Deus, e desaparecerá definitivamente toda memória de Cristo e seus ensinamentos...”
Voltaire, filósofo francês há cem anos atrás
==============================================================
“Se eu a coloco abaixo de todos os livros, ela é a que mantém todos eles, se eu a coloco no meio dos outros livros, ela é a coração desses livros, e se eu a coloco em cima dos outros livros, ela é a cabeça e autoridade de todos os livros em minha biblioteca”
disse Rui Barbosa sobre a Bíblia
====================================================================
“Eu estava fazendo uma revolução na força da guerra..., mas lendo as páginas deste livro (a Bíblia) descobri que Cristo fez uma revolução muito maior do que eu, sem violência e destruição, fez a revolução do amor e da liberdade espiritual mediante o sangue da sua cruz.”
Napoleão Bonaparte
====================================================================

O CASO ELOÁ E O NAMORO PRECOCE

Durante os últimos dias o Brasil tem acompanhado o caso da adolescente Eloah Cristina Pimentel, seqüestrada durante cinco dias pelo ex-namorado, Lindemberg Alves, em São Paulo, cujo desfecho foi de um fim trágico, com a morte da menina.
Este caso tem sido debatido pela mídia, principalmente por ter a adolescente 12 anos quando começou o namoro com Lindemberg, com 19 anos na época.
Surgem então os questionamentos: Deve uma adolescente começar a namorar tão cedo? Os pais deveriam ter permitido tal namoro?
Num primeiro momento poderíamos responder simplesmente que não. Uma menina não deveria namorar tão cedo e os pais não deveriam permitir o namoro.
Entretanto, esta é uma situação um tanto complexa. Proibir resolve totalmente a questão? Se conhecemos os adolescentes e, principalmente, os adolescentes apaixonados, teremos de responder que não e analisar os seguintes fatos.
Adolescentes quebram regras, tem uma necessidade enorme de viver suas próprias experiências e não pensam duas vezes antes de mentir ou omitir fatos, principalmente se tem pais muito repressores e exigentes.
Vivemos numa sociedade em que já na creche e pré-escola os pais, professores e coleguinhas formam e incentivam pares de “namorados”. Aos 8 anos praticamente todas as crianças falam sobre seus namorados e os adultos acham engraçadinho.
Crianças de todas as idades vêem todos os dias dentro de suas casas novelas e filmes que mostram o tempo todo beijos e abraços entre os casais.
Os pais estão cada vez mais distantes dos filhos, absorvidos pelo trabalho e as atividades da vida moderna. Não tem tempo nem disposição para longas e profundas conversas. Nos lares cristãos o culto doméstico não encontra mais espaço e a Palavra de Deus fica de lado.
Estas coisas passam a ser valores normais e fazem parte da formação da criança. Portanto, deveríamos esperar que elas estivessem tão aguçadas sexualmente e carentes de afeto e atenção. Adolescentes carentes certamente irão buscar braços que a abracem, bocas que a beijem e ouvidos que lhe ouçam. Diante de tudo isto e de pais tão perdidos e até desesperados, o que podemos orientar?
A sociedade está errada, os valores estão errados e a família que deseja dar uma formação adequada para seus filhos terá de enfrentar desafios a fim de dedicar tempo a eles. O pai deve dar atenção a sua filha, deve dar afeto e consolá-la em suas emoções.Desde cedo as conversas em torno do namoro devem ser claras e juntos, pais e filhos, devem combinar qual a idade adequada para começar um namoro.
Devem conversar sobre quantas coisas legais podem fazer antes de se comprometer num namoro. E ainda, os namoros devem sempre ter o objetivo de conhecer um ao outro para o casamento, que não tem lógica namorar só por namorar. O “ficar” está fora dos padrões bíblicos e usar o outro para seu próprio prazer é pecado (1Ts 4.3-8).
Sei que com muito diálogo os pais conseguirão entendimento e acordo com seus filhos. É preciso manter um relacionamento de carinho e respeito mútuos, de obediência e admiração. Isto plantamos desde muito cedo e colhemos na época devida. Estou certa de que filhos devem obedecer e honrar seus pais (Ef 6.1,2); entretanto, o que os fará tomar decisões certas e escolher caminhos adequados é, em primeiro lugar, ter o temor do Senhor. Portanto, valores cristãos e Bíblia neles!

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

A BÍBLIA E O CELULAR

Já imaginou o que aconteceria se tratássemos a nossa Bíblia do jeito que tratamos o nosso celular?


E se sempre carregássemos a nossa Bíblia no bolso ou na bolsa?

E se déssemos uma olhada nela várias vezes ao dia?

E se voltássemos para apanhá-la quando a esquecemos em casa, no escritório... ?

E se a usássemos para enviar mensagens aos nossos amigos?

E se a tratássemos como se não pudéssemos viver sem ela?

E se a déssemos de presente às crianças?

E se a usássemos quando viajamos?

E se lançássemos mão dela em caso de emergência?


Mais uma coisa:


Ao contrário do celular, a Bíblia não fica sem sinal. Ela "pega" em qualquer lugar.

Não é preciso se preocupar com a falta de crédito porque Jesus já pagou a conta e os créditos não têm fim.

E o melhor de tudo: não cai a ligação e a carga da bateria é para toda a vida.

" Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto"! (Is 55:6)
Que Deus derrame chuvas de bençãos em sua vida.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

FORTALEÇA SUA FAMÍLIA

1 – Institua a “noite da família”
Escolha uma noite da semana e dedique para a família. Façam programas diferentes com toda a família.

2 – Almoce ou jante com sua família
Decida que pelo menos uma vez na semana toda a família irá almoçar ou jantar ao redor da mesa. Sem televisão ligada e nada de interrupções de chamadas telefônicas.
3 – Comemore os aniversários
Todos os aniversários serão comemorados. Nem que seja com um bolinho e um refrigerante. Mas haverá muita alegria e gratidão. Inclua nesse item o aniversário de casamento, se você é casado.
4 - Leia um livro biográfico
Incentive cada membro da família ler uma biografia de alguém importante na história do cristianismo ou da própria humanidade.
5 – Tenha um momento de oração em família
Pelo menos uma vez por semana reúna a família para orações e leitura da Bíblia. Faça desse momento algo marcante para as crianças.
6 – Construa a árvore genealógica de sua família
Compre aqueles porta-retratos e cole as fotografias dos seus antepassados junto com as fotos de sua família.
7 – Faça um pic-nic com a família
Num dos feriados do ano faça um tradicional pic-nic com sua família. Leve aquelas coisas tradicionais de um pic-nic como por exemplo, frango, farofa, bolo, toalha para forrar o chão, etc.
8 – Abrace mais os membros da família
Crie o hábito de diariamente dar um abraço no seu cônjuge, nos seus pais e filhos. Quando você fizer isso durante 21 dias se tornará um hábito em sua vida.
9 – Saia com sua família para tomar um café da manhã
Pelo uma vez no ano faça uma surpresa à sua família. Convide todos os membros para tomar um café da manhã num hotel da cidade ou arrume a mesa do café da manha bem caprichada..
10 – Monte um quebra-cabeça em família
Monte, em família, um quebra-cabeça, de preferência de 1000 peças.
11 – Convide o pastor da sua família para almoçar em sua casa
Procure saber o prato preferido do pastor da sua família e ofereça a ele e à sua família um banquete e diga para a família pastoral o quanto é amada por todos vocês.
12 – Assista um filme juntos
Sugerimos, por exemplo, que toda a família assista o filme “Procurando Nemo", "Um homem de família", por exemplo e depois converse sobre as lições que cada um aprendeu.
13 – Uma semana sem televisão
Combine com a família a desligar a televisão por uma semana. Nesses dias procurem preencher o tempo com algumas atividades alistadas neste artigo.
14 – Promova o dia do diálogo
Escreva em pedaços de papel temas, como por exemplo, “sexo”, “dinheiro”, “morte”, “namoro”, e nesse dia sorteie um tema e converse abertamente com sua família.
15 – Saia com sua família para um passeio
Pode-se colocar num papelzinho onde cada membro da família gostaria de passear, em algum lugar da cidade, e faça um sorteio do local para toda família passear.
16 – Faça uma limpeza nos armários
Reúna toda a família e faça uma limpeza em todos os armários. Verifiquem aquelas roupas e brinquedos que não foram usados nos últimos meses e dê para pessoas pobres ou para alguma instituição de caridade.
Que Deus derrame ricas bênçãos na vida de sua família.

A Sexualidade na Família - Entrevista

ENTREVISTA COM O PSIC. CARLOS CATITO GRZYBOWSKI

ClickFamília - Ainda hoje o tema sexo é tabu nas famílias? Por quê?

Psic. Carlos Catito - Apesar de vivermos em um ambiente de muita liberalidade social no que diz respeito à questão da sexualidade, um elemento essencial não foi desenvolvido no seio familiar que é o DIÁLOGO. Marido e esposa, pais e filhos ainda cultivam muita dificuldade de desenvolver diálogos profundos e maduros. Assim é comum se falar sobre temas profundos de maneira superficial, como no caso do sexo. Podem se contar piadas, fazer gozações com membros da família sobre esse tema, mas um diálogo fecundo que promova a discussão de valores é, na maior parte dos lares, omitido.
ClickFamília - De onde se origina o tabu sobre este assunto?
Psic. Carlos Catito - O tabu sobre o tema “sexo” provém das distorções culturais que foram se implantando em nosso meio ao longo dos séculos. Em primeiro lugar houve, na cultura ocidental cristã, um contrabando da ideologia grega, que separa o corpo do espírito, atribuindo ao espírito todas as virtudes e ao corpo todas as maldades. Desta forma o que é do corpo ou ligado ao corpo (como o prazer sexual), é visto como algo mal, sujo, pecaminoso.
Veja que este não é um princípio bíblico, pois o sexo é parte da criação de Deus e, portanto, muito bom (Gênesis 1:31). Outro elemento que acentuou esse tabu foi exatamente a má interpretação da Bíblia por teólogos cristãos na Idade Média.
Agostinho afirmava que o sexo é um mal necessário para a reprodução e a igreja cristã da época colocava o celibato como um bem maior a ser desejado por todos os homens (alcançado pelos vocacionados) e a virgindade das mulheres como algo divino (inspirado no nascimento virginal de Cristo). Assim o sexo foi criando matizes negativas e, posteriormente foi associado com o pecado original. Tudo isso contribuiu para uma interpretação distorcida e negativa da beleza do sexo criado por Deus.
ClickFamília -O culto ao corpo e a liberdade de expressão da sexualidade são temas que hoje aparece diariamente nas telenovelas e filmes. Como os pais devem lidar com esta questão junto aos filhos pequenos e adolescentes?
Psic. Carlos Catito - Lidar com estas questões sempre envolve VALORES! O diálogo não pode e não deve ficar no nível da fisiologia ou da genitalidade, mas os pais devem ser sempre muito francos com os filhos e falar de seus valores. Para tal é necessário que os pais (o casal) mantenha entre si um diálogo franco e honesto sobre os valores que adotam para si e que julgam importantes de serem transmitidos para os filhos.
Uma vez isso estando acordado entre o casal, deve-se aproveitar todas as oportunidades para comunicar seus valores aos filhos, quer seja num momento de visualizar uma cena televisiva ou num beijo ou abraço trocado entre o casal diante dos filhos. Devem mostrar que sexo é mais que algo fisiológico, é uma questão de profundo conhecimento do outro e portanto não deve ser banalizado – como nos filmes e novelas – mas desfrutado como algo prazeroso que nos é outorgado por Deus e que necessita de uma relação íntima e duradoura para ser alcançado em toda sua profundidade. Jamais encontros casuais podem atingir a plenitude que a relação sexual pode oferecer pois falta o essencial: o conhecimento do outro, que é diferente de mim!
ClickFamília - O que os pais devem fazer para lidar com mais abertura e falar com seus filhos sobre a sexualidade?
Psic. Carlos Catito - Aproveitar todas as oportunidades para falar sobre o assunto. Quando uma criança ou adolescente vê uma cena de sexo na TV, uma imagem sensual na banca de revistas ou outdoor, os pais, ao perceberem, não devem ficar com vergonha ou fazer de conta que não notaram que os filhos viram. Antes aproveitem as oportunidades para falar de seus valores pessoais.
Não com um moralismo burro do tipo: “que coisa mais feia”; “que nojento”, mas de valores reais e concretos como: “veja filho, nos filmes as pessoas mal se conhecem e já vão se entregando às outras, mas nós cremos que para uma entrega verdadeira é necessário um profundo conhecimento do outro e também um vínculo de compromisso e isso é que dá a verdadeira beleza do sexo, por isso nós acreditamos no casamento!”
Se os pais puderem passar aos filhos estas crenças básicas no amor, na beleza do sexo e no vínculo do compromisso que autentica a verdadeira liberdade, os filhos crescerão com uma imagem saudável sobre o assunto. Não devemos ter vergonha de falar daquilo que Deus não teve vergonha de criar!
ClickFamília - Quais são os meios para que a família possa desenvolver uma sexualidade sadia?
Psic. Carlos Catito - Começa no ambiente que se desenvolve no lar. Os filhos precisam perceber que existe ternura no relacionamento entre os pais. Quando eles vêem que seus pais se amam e expressam isso de forma aberta e espontânea através de abraços, beijos e outras expressões de carinho eles sentem-se seguros e há liberdade no relacionamento. A sexualidade é percebida então de forma positiva, como um componente enriquecedor e integrante do cotidiano do relacionamento entre os pais.
Do contrário, quando os pais se tratam com frieza, distância e até mesmo com desrespeito e agressividade, os filhos acabam tendo a falsa idéia que a sexualidade é algo separado do relacionamento diário, que deve ser feito às escondidas e em segredo por não ser muito lícito – afinal não é um complemento do dia-a-dia conturbado do relacionamento dos pais.
ClickFamília - Qual sua opinião sobre este aspecto: É dever da mãe conversar sobre sexo e sexualidade com as filhas e dever dos pais conversar com os filhos?
Psic. Carlos Catito - Não vejo nenhuma base bíblica ou científica para tal afirmação, muito pelo contrário: a Bíblia afirma que a responsabilidade da educação dos filhos é de ambos (pai e mãe) – conforme Efésios 6:4. Em primeiro lugar porque, como falei acima, a educação sexual tem a ver com a transmissão de VALORES e estes valores não podem ser os valores só do pai ou só da mãe, mas devem ser de ambos. Uma vez que o casal define quais os valores que querem passar aos filhos, não importa se é o pai ou a mãe que os transmite ao filho homem ou mulher.
Em nossa cultura machista temos o ranço de acreditar que o pai deva ensinar o filho a “ser macho” e isso culturalmente significa tratar a mulher como um objeto e um ser inferior que deve ser usada para as satisfações sexuais (conquistas) do homem. Essa forma de pensamento, além de contrária à Bíblia (que ensina que ambos – homem e mulher – tem o mesmo valor diante de Deus) é desrespeitosa e viola o primeiro de todos os direitos universais do ser humano que é o de igualdade entre as pessoas. No modelo bíblico de ensino pai e mãe são co-responsáveis pela educação de todos os filhos.
ClickFamília - Que conselho o irmão daria para os pais?
Psic. Carlos Catito - Dr. Daniel Schipanni, um pastor e psicólogo argentino radicado nos USA, afirma em seu livro sobre educação e filhos que o melhor que um pai pode fazer pelo seu filho é amar a mãe de seu filho (sua esposa) e o melhor que uma mãe pode fazer por seu filho é amar o seu marido (pai do filho).
Quando existe o verdadeiro amor entre o casal e isso é expresso de forma livre e tranqüila para e diante dos filhos, estes crescerão com uma noção correta e sadia da sexualidade como sendo uma continuidade do afeto, do carinho, do vínculo e do compromisso e não como o conceito popular como algo “de pele”, num reducionismo organicista que não fica muito longe do conceito animal de “cio” e rebaixa efetivamente o caráter superior de ser humano em relação aos demais animais – no entendimento bíblico o caráter da “Imago Dei” impressa em nós.

ClickFamília - Você acreditar que a igreja tem ajudado as famílias nessa questão?
Psic. Carlos Catito - De uma forma geral NÃO! Na maioria das igrejas o sexo é tratado culturalmente e não biblicamente, as idéias vitorianas e medievais ainda prevalecem, vendo o sexo como algo sujo e pecaminoso (aliás um pecado de valor maior que os demais) e não como algo belo e criado por Deus para o prazer da pessoa dentro de um relacionamento de compromisso e repleto de ternura – o casamento!Poucas igrejas instruem os jovens sobre o tema e muito menos o casal e por isso há um crescente aumento de divórcio entre cristãos e infelizmente ente pastores. Creio que deveria ser um tema de constante estudo em reuniões de jovens, retiro de casais e sermões. Como citei acima, NÃO DEVEMOS TER VERGONHA DE FALAR DAQUILO QUE DEUS NÃO TEVE VERGONHA DE CRIAR!

domingo, 17 de agosto de 2008

Comentário sobre o filme Em busca da Felicidade

Em busca da Felicidade
Chris Gardner (Will Smith) é um homem muito inteligente e talentoso, que trava todos os dias uma luta inglória para sustentar a família. Sua mulher Linda (Thandie Newton) também trabalha arduamente com o mesmo objetivo, porém acaba não resistindo aos problemas constantes provocados pela pressão financeira e decide ir embora, deixando o marido e o filho de 5 anos (Jaden Christopher Syre Smith).

Sozinho com o filho, Chris vê, dia a dia, as coisas piorarem...

Então toma uma decisão. Talvez a única que possa lhe trazer alguma esperança de encontrar a felicidade...

Realizado por Gabriele Muccino, “Em Busca da Felicidade” é um filme notável que vai além da fórmula simples do melodrama. Nele não encontramos nenhum super-herói, apenas um pai como tantos outros. Também não encontramos uma história fantástica, mas a realidade de uma pobre e dura vida de família.

Nele, contemplamos comovidos, a história de uma perseguição dos sonhos, a realização de uma promessa feita e a capacidade de um homem para superar todos os obstáculos que encontrou em seu caminho, até encontrar a sua felicidade.

Num primeiro momento, podemos nos equivocar e concluir que, para Chris, a felicidade é o dinheiro. Entretanto, não é isto simplesmente o que vejo.

Em primeiro lugar vejo um pai totalmente empenhado em estar junto do filho; um pai que fez o possível e o impossível por amor ao filho. Atitudes notáveis que parece cair em desuso nos dias atuais, quando cada vez mais pais saem de casa, abandonando o convívio com os filhos, com uma facilidade de impressionar. O personagem principal deste filme nos ensina que vale a pena fazer sacrifícios para estar ao lado de um filho, nos bons e maus momentos.

Em segundo lugar vejo um pai que, por amor e preocupação com o filho, é capaz de tirar, de um trágico momento, uma oportunidade para brincar. Decisão inusitada que nos serve de belo exemplo, pois quantas vezes, por causa de um mau dia ou de sérios problemas, descontamos em nossos filhos nossa irritação, mau humor e frustrações, levando-os muito mais vezes à lágrimas do que a risos.

Em terceiro, vejo um homem corajoso, inteligente, capaz de correr um alto risco, por acreditar na sua própria capacidade. Vejo um homem lutador, que não desanima, que supera a dor física e emocional em prol de um objetivo. Vejo um homem, que mesmo representado por um personagem, pode servir de exemplo. Exemplo de garra, de amor, de pai, de cidadão, de capacidade para sonhar e conquistar seu sonho.

E não o sonho de ganhar muito dinheiro, mas o sonho de ver, de muito perto, seu filho crescer e de ter um emprego honesto para com ele suprir as necessidades de sua família.

Era este o sonho de Chris.

Foi isto que ele conquistou primeiro. Depois veio a riqueza. Muito depois...

Comentário sobre o filme Diamante de Sangue



Todos a querem. Todos brigam por ela. Todos sujam as mãos de sangue. Cada um tem seus motivos... Por causa de uma rósea pedra, de estupendo valor.

Este é o tema central do envolvente filme “Diamante de Sangue” (EUA, 2006), tendo como pano de fundo o caos e a guerra civil que dominou Serra Leoa na década de 1990. Dirigido por Edward Zwick, reúne excelentes atores, como Leonardo Dicaprio no papel de Danny Archer e Djimon Hounsou no papel de Solomon Vandy.

Sem dúvida, um excelente filme, embora violento e cruel. Muitas cenas causam impacto e tristeza, sobretudo por sabermos o quanto tudo aquilo foi verdade e ainda o é, em muitos países.

É interessante observar a motivação, o interesse e o objetivo que move cada personagem. E os sentimentos que o tempo todo transparece também são merecedores de atenção.

Mais uma vez destacamos, e agora também neste filme, o quanto as histórias dos personagens se assemelham às histórias da vida real.

Mulheres que permitem que seu coração ame um homem frio e sem caráter. Homens que são tocados pelo amor de uma mulher ou que passam a compreender o próximo e sofrem uma mudança interior por causa disto. Ou ainda homens que são capazes de humilhar, matar, destruir pessoas e famílias por causa da ganância e do poder. Como também pessoas que ainda acreditam que vale a pena lutar por algo, como a verdade e a família. E também pessoas que sofrem ou morrem, mesmo inocentes, em meio às tantas guerras entre os homens.

Todas estas são histórias de pessoas. Pessoas ligadas a uma família. Famílias que sofrem por causa dessas pessoas. Tenho conhecido muitas pessoas assim, que causam dor à sua família. Homens que maltratam suas esposas e filhos. Filhos que se rebelam contra seus pais.

Mulheres e homens que praticamente abandonam seus filhos em prol de uma carreira e status e dinheiro. Pessoas que mentem e enganam.

Porém, além de tudo isto, quero ainda destacar a necessidade que o ser humano tem de relacionamento e o quanto as circunstâncias e os desejos podem unir caminhos de vidas tão distintas.

É o que acontece com Danny e Solomon, ambos africanos. Um mercenário e um pescador. Um branco e um negro. Um ganancioso e um simples. Um solteiro e livre e um marido e pai comprometido.

Homens de caráter e valores tão distintos, mas que se unem num mesmo objetivo, apesar de motivos diferentes, porque precisam um do outro.

Danny quer o diamante porque ele pode ser seu bilhete de saída da África e do ciclo de violência e corrupção no qual ele sempre havia se dedicado.

Solomon quer o diamante não só porque foi ele quem o achou, mas porque é o meio de salvar sua esposa e filhas de uma vida de refugiadas e seu filho do destino de ser um soldado infantil.

Trava-se então a luta entre a necessidade do dinheiro e a necessidade da família.

Qual sairá vencedor?

Vale a pena assistir!!!

Comentário sobre o filme Compromisso Precioso


Compromisso Precioso

O compromisso de uma fé desafiada pelo impossível e testada pelo irresistível afeta a família inteira. O triunfo do espírito de Jesus numa vida vai inspirar a todos quantos assistirem a este filme maravilhoso.


A história comovente do amor entre John e Ellen Brighton. Unidos eles enfrentam uma terrível doença impiedosa, o Mal de Alzheimer, que confirmará seu amor ou destruirá a família e seu casamento.

Neste filme há problemas:
Na carreira profissional,
Nos relacionamentos familiares;
No seu viver diário;
Uma confusão que só o poder de um amor real pode superar.

Phil Brighton, o irmão e sócio de John, vive livre demais para entender porque John mantém assim sua fé e seu casamento diante de circunstâncias tão terríveis.

Mas a luta de seu irmão faz com que Phil encontre uma nova esperança.

COMPROMISSO PRECIOSO mostra a importância de viver onde muitos buscam respostas sérias para os desafios da vida.

O filme retrata com sensibilidade esta triste realidade que é o mal de ALZHEIMER, e somente com JESUS superamos as mudanças e passamos a amar cada vez mais nossa família.

Um filme para abençoar as famílias e fortificar o nosso compromisso conjugal e espiritual.

COM CERTEZA VALE A PENA ASSISTIR!!!

sábado, 16 de agosto de 2008

Carta do Além

Imagine se o diabo resolvesse escrever uma carta para alguém aqui na Terra.

Dessas pessoas folgadas, que não estão nem aí com Deus ou a Igreja. Creio que ela seria mais ou menos assim:

"Caro Amigo":
Saudações infernais!

Estou tão ansioso por nosso encontro final que resolvi escrever-lhe afim de manifestar minha paixão por você. Você é tão perverso, orgulhoso, malvado e rancoroso!

A característica que mais admiro em você é esse seu desprezo por Deus.

Noto que você transgride todos os mandamentos da Bíblia.

Particularmente estou torcendo para que você adquira logo uma doença.
Com sua vida promíscua, creio que isto não vai demorar.

Também torço para que você se arrebente quando dirigir bêbado. Isto o traria logo para os meus braços, numa união eterna.

Outro dia, quando se livrou daquele chato que, com a Bíblia na mão, insistia que você mudasse de vida, nós fizemos a maior festa.

Para encerrar, espero que você permaneça firme.

Fuja da Igreja.

Nunca ouça ou veja aqueles programas que falam do meu maior inimigo, "Jesus".

Atenciosamente,
Satanás


Esta carta é uma peça de ficção.

Mas o seu conteudo é verdadeiro.

Se você não gostou do que nela está escrito, vai gostar menos ainda de ir para o inferno.

Ainda há tempo de se arrepender de seus pecados e se entregar a Jesus.

Um Abraço e pense nisso.

Isaias do Valle - Extraído do folheto: Carta do Além (SBB)

terça-feira, 12 de agosto de 2008

A Caverna

Suponhamos que exista uma caverna escura, ao fundo desta caverna um banquinho de madeira, uma mesa, um jarro de água, um pão dormido e uma lamparina com uma luiz muito fraca. Você está sentado neste banquinho. Esta caverna tem aproximadamente 10 metros de comprimento por 5 metros de largura, na parte da frente grades muito resistentes, em algum lugar da caverna há a chave principal, também uma marreta e há também um rádio comunicador.
Identifique os objetos citados e faça uma dissertação sobre o aprisionamento da sociedade e de como ela pode sair da caverna?

Sociedade Secular
A Caverna
Podemos analisar a caverna como:

O mundo em que vivemos.

A sociedade vive num mundo que está dividido por etnias, raças, cor, credos, religiões e línguas. Este mundo vive em sociedade e estas sociedades têm em seu padrão um código de ética ou leis para regerem a sociedade que determinar o seu modo de viver, andar, falar e agir. Portanto, esta caverna pode ser alguma sociedade distribuída neste universo acima citado e criando dogmas ou crenças que os impedem de ver ou sair além daquele perímetro demarcado, ou aquela visão aceita por esta sociedade.

O mundo que fazemos.

Vivemos dentro de uma sociedade e, às vezes, criamos um outro círculo de vida. Sozinhos, acompanhados, em grupo menor, são formas de viver que aprendemos ou incluímos no nosso viver por uma variedade de motivos. Depressão, Medo, Arrogância, Inveja, etc, são motivos que nos levam a criar fantasias ou nos retraem a uma vida separada, uma vida totalmente diferenciada da sociedade e nula, sendo assim, nos separamos do mundo achando que assim teremos a solução para o nosso problema, ou fugindo dos problemas que nos assolam a todo o tempo. Para não pecar contra Deus (transgressão da Lei de Deus), não precisamos sair deste mundo, desta sociedade ou do bairro que você mora e isolar-se num local, caverna, ou viver de forma que todo o mundo desaprova, até Deus, precisamos sim, viver neste mundo, e aprender-mos a conviver com este mundo de forma que não desagrade a Deus e encarar-mos os problemas de frente, pois se não encarar-mos os problemas, e desviar-mos dele, você terá que viver desviando-se dos problemas ou então exilar-se em algum local para não enfrentar problemas, contudo criará outro problema, A SOLIDÃO!

Vimos então que tanto a sociedade ou você ao criar uma caverna, estamos fugindo de um problema e entrando em outro, logo temos que resolver os problemas, enfrentá-los sem medo e sempre pedindo que Deus coordene os nossos passos, pensamentos, em suma, nossa vida, e esteje no comando.

A escuridão
Abordados os dois tópicos acima, sabemos que tanto na sociedade como na nossa vida temos momentos de desespero, pavor e contendas internas e externas que nos levam a isolar-mos desta sociedade ou convivência trazendo-nos uma ESCURIDÃO, pois não sabemos para onde ir, então tudo parece escuro, um breu em nossa vida. Na escuridão, não se consegue ver o que há na frente, contudo não podem vê-lo, e esta é a verdadeira vontade de quem tem problemas, ficar só, acuado, filosofando consigo mesmo, Deus criou-me para sofrer, ou para viver sofrendo; Será que fui amaldiçoado por Deus; Tantas pessoas piores do que eu e Deus foi fazer logo isto comigo; Não roubo, não mato, não... não... não..., e por que eu?

Um verdadeiro bombardeio faz a si mesmo nesta escuridão, tentando encontrar uma saída. Daí a escuridão e a solidão para achar esta solução.

Tanto a sociedade como o ser humano, tem esta visão de isolar-se e no primeiro problema ir para a sua caverna e na escuridão procurar a SOLUÇÃO.

O Banquinho
Muita das vezes a sociedade ou o ser humano (você) está estagnado no tempo, por não concordar com algo, ou estar em crise consigo mesmo, pois a todo o momento filosofamos, e discordamos das filosofias existentes em nosso meio, e ao discordar-mos precisamos de um lugar para meditar-mos ou até isolar-mos, como alguns pensam.

Neste isolamento, ou vida que vivemos, paramos em determinados locais que nos incomodam no início, contudo depois acostumamos com o local, podemos analisar da seguinte forma: “Um homem, que não está acostumado a capinar, começa a capinar o seu terreno para preparar o local,e no final do dia a sua mão está cheia de calos e dolorida, pois não está acostumada aquele tipo de trabalho, trabalhando vários dias, esses calos ficam endurecidos e você passa a acostumar com as mãos calejadas. Nos acostumamos com o estilo de vida, aceitamos e resolvemos não mudar, nos ACOSTUMAMOS.

Também deixamos para depois as mudanças por medo ou incerteza. Não sabemos o que pode acontecer, não temos o controle da situação, PROCRASTINAMOS.

A Mesa
Um local onde o ser humano ou a sociedade se diverte, come, bebe e dorme. Somos tentados a ficar em algum local que nós consideramos seguro, que não haja risco para nós ou para sociedade.

O Jarro de Água
A fonte de seu alimento, tanto para o ser humano como para sociedade. Um local refrescante que sacia a sua sede. Na vida temos lugares que saciamos nossa sede, contudo sempre falta-nos alguma coisa, e acostumados com o nosso viver, tememos e não mudamos de vida.

O Pão
Alimento, para o ser humano e para sociedade. O pão significa comida ou alimento. O nosso alimento também pode ser o prazer que o homem necessita lazer, comida, festa, sexo. Sempre existe algo em nossa vida que nos preenche mais, e este algo às vezes nos prende a um determinado local, deixando-nos inertes e posteriormente, não gostando do que foi executado, exilando-se para refletir, e achar a sua resposta.

A Lamparina
Em todo o momento de nossa vida precisamos de luz. Luz para não cair, luz para andar, luz para trabalhar, luz para..., precisamos de luz em todo o momento de nossa vida, mesmo que seja uma luz fraca.

Para nossa vida ou sociedade é preciso de uma luz (idéia) para continuarmos a caminhada com rumo direcionado, às vezes não sabemos o que fazer, mediante as circunstâncias da vida e paramos, analisamos e ficamos esperando uma luz, para agirmos.

A Grade
Em certos locais de nossa vida ou da sociedade, existem algo que nos prendem ou nos cercam, podemos chamar de GRADES. As grades não são ultrapassadas por nossa culpa, as vezes nem existem, fazem parte de nossa imaginação, pois em nosso subconsciente existem barreiras ou grades intransponíveis, que depende de nós mesmos ultrapassá-las, achamos que não podemos fazer, achamos que já perdemos, achamos que não há solução, achamos, achamos, achamos. Grades que nos impedem de crescer, ir adiante, seguir o rumo da vida ou da história.

A Chave
A chave ou a solução para o problema da sociedade ou do ser humano está, as vezes, ao nosso lado, contudo em nosso desespero ou em nosso momento de crise, não a vemos ou não procuramos a saída, desesperados com tudo o que está acontecendo ou aconteceu a nossa volta. Deixamos o pessimismo tomar conta de nós e nos entregamos a amargura e a solidão, sendo presas fácil para uma vida desmotivada e sem controle, sem rumo. Então, não procuramos a saída, a solução ou a chave, quantos de nós temos a CHAVE perto de nós e não movemos um dedo, pelo medo ou pelo desespero que nos cerca.

A Marreta
Uma ferramenta que serve para quebrar algo. Precisamos de instrumentos diversos em nossa vida para poder sair de algumas situações, uma MARRETA serve para libertar-nos de algo que nos prende, mais uma ferramenta para a liberdade, e se não soubermos usá-la, ou se não quiser-mos usá-la? Ficaremos presos, inertes.

O Rádio comunicador
Serve para comunicar-se com algo ou alguém. Em nossa vida podemos transferir este pensamento para uma televisão, um computador, um celular, algo que nos faça comunicarmos com algo ou alguém. Desta forma, mesmo presos ou inconformados com o mundo e a sociedade em que vivemos, mesmo nos enclausurando, podemos saber o que se passa em nosso meio sem contaminarmos ou sem ter contato com quem não queremos.

Ficar isolado nem sempre significa ficar sem comunicação, isolome do mundo, contudo posso confiar em alguém que me passe as informações necessárias para eu saber o que está acontecendo ou eu agir na hora certa.

Com os meios de comunicação podemos também só receber informação e não contactarmos com ninguém, somente isolado e informado do que acontece ao nosso redor ou no mundo.
Sociedde Cristã
A Caverna
Podemos analisar a caverna como:
O mundo em que vivemos.
A comunidade Religiosa está dividida em diversos dogmas e grupos religiosos, são eles os Batistas, Presbiterianos, Metodistas, Assembléicos, Luteranos, Judaicos, e muitos outros, cada um criando o seu mundo ou CAVERNA, e as vezes isolando-se do mundo, para melhor doutrinamento de seus membros, e dificultando a convivência de seus membros no mundo.

São grupos religiosos que ao criar esta CAVERNA, esquecem-se do IDE de JESUS, em Mt 28:19-20. e vivem como os escribas, fariseus e saduceus, melhorando o seu conhecimento nas escrituras, nas suas atitudes, na sua doutrina e criam até linguajar diferenciado para contactarem-se, anulando-se do mundo externo. Uma verdadeira CAVERNA cheia de adeptos convictos da ortodoxia.

O mundo que fazemos
Dentro destas comunidades religiosas (Igrejas), existem seus ministérios ou uniões que se subdividem, que escolhemos ou que fazemos para compartilhar, e alguns destes ministérios, se não forem bem trabalhados e bem direcionados, são CAVERNAS cheias de dúvidas, incertezas e acima de tudo de imcompreensão. Nestas cavernas as pessoas sentem um verdadeiro vazio, mesmo tendo o ESPÍRITO SANTO habitando em sua vida, pois esquecemos de olhar para o nosso irmão, amar o nosso irmão e pensamos em nós, nossas necessidades, nossos interesses, verdadeiras CAVERNAS CARNAIS. Passamos a ser EGOCÊNTRICO onde deveríamos ser CRISTOCÊNTRICO. Estamos na caverna porque queremos!

A escuridão
Dentro da Religião (igreja) há pessoas que a todo momento passam por crises (desertos) e neste momento parece que tudo está escuro, negro, sem vida, e sentimo-nos sós, perdidos, sem alguém para ajudar-nos, ou então nos fechamos de uma tal forma que ninguém pode nos tocar, nos falar, nem pensar em tomar alguma atitude para nos ajudar, pois criamos uma CAVERNA e nela vivemos nesta ESCURIDÃO, certos de que acharemos a solução. Achamos que temos um grande problema e que DEUS não está nos ouvindo, nos achamos no fundo do poço. Esquecemos que temos um grande DEUS que é maior do que todos os problemas que possamos ter ou possa existir. Estamos na escuridão porque queremos.

O Banquinho
Em algumas situações de nossas vidas paramos, sentamos ou “empacamos”. Ficamos inertes em relação a algumas atitudes, neste BANQUINHO paramos, analisamos, gritmos, choramos, sorrimos, fazemos ele de nosso mundo, UM MUNDO INTOCÁVEL, que somente ele sabe o acesso.

As vezes, estamos em um banquinho incômodo, pois a situação que estamos passando é incômoda, contudo não abrimos espaço para ninguém, achamos que ninguém pode ajudar e ninguém sabe como te ajudar, esquecemos até de DEUS. Ficamos sentados no banquinho.

A Mesa
Nesta mesa choramos, rabiscamos, escrevemos, rasgamos rascunhos e fazemos verdadeiros diários de nossa existência, de nossa vida.e viramos verdadeiros filósofos, pois procuramos entender a nossa existência, o porque do acontecimento em nossa vida, se somos marcados por Deus para sofrer, e esquecemos da MESA de amigos que podem nos ajudar nestes momentos complicados, esquecemos de convidar O VERDADEIRO AMIGO para sentar em nossa MESA, CRISTO. Ele entende, compreende, conversa e nos aconselha para o melhor, pois ELE NOS AMA. Estamos sós nesta mesa.

O Jarro de Água e o Pão
A ÁGUA e o PÃO é um alimento crucial para nossa vida, e a PALAVRA DE DEUS é a nossa ÁUGA E PÃO ESPIRITUAL, pois necessitamos deles para o nosso crescimento espiritual, e muitas das vezes eles estão ao nosso lado, espostos em uma cabeceira, uma escrivaninha, uma mesa de escritório, em algum lugar, contudo não a bebemos, passamos a ficar com a boca seca e o estômago gritando por falta destes alimentos, não bebendo desta água e não comendo deste pão, estamos nos desnutrindo espiritualmente.

Muitos de nós passamos problemas na vida por não nos alimentarmos corretamente, frutas legumes e frutas, e outros nutrientes, na vida espiritual é da mesma forma, se não nos alimentarmos de ÁGUA E PÃO (leitura da Biblia e oração) não cresceremos espiritualmente e seremos presa fácil, pois teremos fome e não saberemos saciar esta fome, teremos sede e não saberemos saciar esta sede.

Estamos com a água e o pão na mesa e não sabemos nos alimentar.

A Lamparina
Quantas vezes procuramos uma luz para resolver nossos problemas financeiros, emocionais, religiosos, familiares, etc. é esquecemos que temos a resposta, A BÍBLIA, pois a bíblia é a LAMPARINA, a luz para as nossas respostas.

Existem muitas pessoas que dizem que a Bíblia não tem todas as respostas para nossos problemas, esquecem de ler a Bíblia em oração e pedindo que o Espírito Santo os ilumine a luz da palavra de Deus, pois temos relatos parecidos com o nosso dia a dia na Bíblia, Adultério, Estupro, Assassinato, Roubo, Fornicação, Divórcio, Casamento, Amor, Fidelidade, Santidade, Prostituição, Idolatria e muitos outros.

Uma LAMPARINA a nossa disposição, uma luz a nossa disposição, e porque não usamos? Será que não a conhecemos? Será que não a vimos? Ou achamos que não resolve todos os problemas?

A luz está a todo o momento em nós, pois guardo a tua palavra no meu coração para não pecar contra ti, posso dizer parafraseando que guardo a tua luz no meu coração para não pecar contra ti.

A Grade
Esta GRADE são barreiras que nos enfrentamos ou colocamos para nos defender de determinadas situações. Situações constrangedoras ou pecaminosas, situações que nos envergonhariam ou nos puniriam.

Também podemos chamar de GRADE ou PRISÕES os momentos que nos fechamos por ahcar que seja muito complexo o momento que estamos passando e queremos ficar sós, enclausurados em nosso mundo, em nossa CAVERNA, nosso BANQUINHO, nossa MESA.

Criamos nossa grade porque queremos.

A Chave
A CHAVE para nossos problemas tanto espirituais como materiais é: “CRISTO”.

Temos a chave ao nosso lado para todas as saídas, contudo não usamos, achamos que resolveremos todos os nossos problemas, nos trancando, nos escondendo ou ficando só. O grande problema de nossa vida é acharmos que podemos tudo sozinho, contudo quando nos vemos desesperados, numa escuridão, sem uma luz, aí usamos a CHAVE que está ao nosso lado.

A Marreta
Serve para quebrar ou abrir caminho, porém quando não usamos a marreta ou não sabemos usá-la é um instrumento inútil, parece que, às vezes, colocamos a marreta como um enfeite de móvel, como quadro, pendurado na parede e não na sua verdadeira utilidade.

Para nossa vida espiritual, se temos uma Bíblia e não sabemos manuseá-la, ou nem a conhecemos, de que adiantará?

Na Bíblia contém códigos de éticas, decálogo e fruto do Espírito, que são irrepreenssíveis pelo homem, pois nos mostram uma conduta séria, e de acordo com um bom viver na sociedade e perante DEUS, contudo se não usamos, meditamos, compreendemos o que ela diz, de nada nos servirá.

Para quebrar os grilhões que nos cercam, precisamos da MARRETA para sermos libertos. Não estamo usando a marreta corrdetamente.

O Rádio comunicador
Algo que nos faz comunicar com alguém ou com algo. Quando fazemos ao nosso redor uma barreira intransponível, criamos um mundo só nosso, precisamos nos comunicar com algo ou alguém de alguma forma, usamos várias formas de comunicação existente hoje, O rádio, a televisão, a internet, o celular, o fax, e muitos outros, contudo, precisamos nos comunicar com alguém.

Ao criarmos o nosso mundo, estamos sós, se não convidarmos ninguém para viver nele, e isto normalmente acontece quando estamos com problemas, parece que ninguém nos entende, ninguém pode ou quer nos ajudar, todos estão contra mim, todos me criticam, e assim continuamos a pensar e fechamo-nos mais ainda nesse nosso mundo ou CAVERNA, na ESCURIDÃO, sentado num BANQUINHO, tendo somente a nossa MESA para nos consolar com um pedaço de PÃO e um JARRO DE ÁGUA para saciar a fome e a sece, que não são suficientes, com uma LAMPARINA que não consegue iluminar o nosso caminho, cercados por uma GRADE da incompreensão e desamor próprio, tendo uma CHAVE e uma MARRETA que não são usadas de acordo com a função exata e apenas usando um RÁDIO COMUNICADOR, para tentar saber o que acontece lá fora, o que acontece com as pessoas, perguntando, através do meio de comunicação, o que acham, o que poderia ser feito se fossem eles que estivessem passando por esta situação ou problema, pergunta, pergunta, pergunta, mas esquece de questionar a pessoa certa, ‘DEUS’. Ele nos ouve, atende as nossas preces, contudo num tempo determinado por Ele e não por nós, aí é que nós não entendemos ou queremos agir por conta própria e entramos em desatino, parafuso, achando que até DEUS esqueceu de nós, não nos vê. ERRADO, DEUS está a todo o momento nos vendo, nos ouvindo, nos abençoando, Ele conhece, sonda o nosso coração e a sua medida nos atende.

Somos, por natureza, insatisfeitos com o que temos com o que queremos, sempre queremos mais, precisamos de mais, e não nos conformamos com o que nos é dado, sempre é pouco, chegamos até a falar ou reclamar, só isso!!! Coitado de nós se DEUS se irritasse com nossas atitudes, fosse sensível como nós somos, seríamos julgados no ato e condenados a morte.

Precisamos entender que o ESPÍRITO SANTO está aqui, habitando em nós, para nos consolar de todo o mal, amargura que há em nosso ser. Não precisamos nos exilar e criarmos uma CAVERNA para tentarmos resolver os nossos problemas, temos CRISTO nos ajudar, Ele é a chave, a marreta, A SOLUÇÃO PARA NOSSA VIDA.

Isaque e Rebeca - Casais da Bíblia

Um exemplo de romantismo e monogamia

A história de Isaque e Rebeca é uma das mais bonitas e interessantes histórias sobre casamento descrita na Bíblia Sagrada.

Isaque nasceu e cresceu num lar onde pode presenciar um amor forte e genuíno entre seus pais, Abraão e Sara. Desde pequeno pode ter experiências com Deus tão profundas quanto as que teve seu pai, com quem aprendeu a amar e confiar em Deus, sob qualquer circunstância (Gn 22:1-18).
De Rebeca não conhecemos muito a história, senão a partir da maneira excepcional como foi escolhida para ser a esposa de Isaque (Gn 24:1-18; 11-27). Entretanto, podemos concluir que, sendo neta de Naor, irmão de Abraão, (Gn 22:22-23), Rebeca e toda a sua família conhecia Jeová e nEle confiava. De outra maneira, não poderíamos compreender a sua disposição em casar-se com um homem que jamais havia visto (Gn 54:61).

Uma noiva para Isaque
Quem escolhia esposa para os filhos eram os pais. Sendo Abraão já velho, e vendo seu filho Isaque sofrer tanto com a morte de sua mãe, começou a preocupar-se em encontrar uma esposa para seu único herdeiro.

Abraão não queria para Isaque uma noiva da terra de Canaã, onde estavam morando, pois aquele povo não adorava o mesmo Deus. (gn 24:1-3).

Abraão desejava que Isaque tivesse um casamento aprovador por Deus, uma esposa que fosse a companheira ideal para o herdeiro da promessa divina e que tivesse condições de dar continuidade a uma geração temente a Deus.

Pergunto:
· Será que nós, como pais, estamos orientando nossos filhos no sentido de escolherem para si esposas e esposos que crêem no mesmo Deus que nós?

· Que tenham condições espirituais de criar filhos segundo os mandamentos divinos?

Para que a experiência de Abraão possa ser realidade em nossas família, devemos:
1. Orar pela vida sentimental dos nossos filhos, mesmo que ainda esteja longe a vida de se casarem. Antes de tomas qualquer providência para o casamento de Isaque, Abraão buscou a vontade do Senhor (Gn 24:7)

2. Ensinar-lhes valores morais e espirituais desde a mais tenra idade. Isaque aprendeu isto quanto ainda era bastante jovem (Gn 22:7-8).

3. Desenvolver uma amizade pura e simples com os filhos. Abraão e Isaque estavam juntos em qualquer circunstância (Gn 22:6,8)

Uma proposta de Casamento
A proposta de casamento que Rebeca recebeu começou com uma prova da existência e do cuidado de Deus àqueles que o amam. Foi um ato de fé, de uma prova para com Deus.

Ciente da grande responsabilidade que seu senhor, Abraão, lhe deu, Eliezer (este foi, provavelmente, o servo que Abraão enviou (Gn 15: 2-3; 24:2) orou, pedindo ajuda a Deus e depois dirigiu-se ao lugar mais provável de encontrar as moças daquela região.

Já é tarde. Como de costume, Rebeca foi ao poço tirar água. Ali aconteceu o encontro que mudaria sua vida para sempre.

Quem nos dera que os casamentos de hoje também começassem com esta receita de felicidade: aprovação dos pais, direção de Deus e escolha inteligente. Seria, sem dúvida, um início excelente!

Um consentimento de Fé
De Isaque, tudo o que Rebeca ouvira falar era que ele tinha 40 anos; que era primo seu; não possuía nenhuma outra mulher e era rico, herdeiro único de seu pai. No entanto, pode ser bem provável que o que mais tenha atraído Rebeca àquele desconhecido tenha sido o fato de ser ele o filho da promessa de Deus a seu pai Abraão.

Depois de ouvir a incrível história que Eliezer contou, não poderia haver dúvida de que Deus estava conduzindo aquele casamento. Foi com esta certeza que Rebeca respondeu à indagação de sua família (Gn 24:58).

Um fato curioso acontece aqui. Não era costume consultar a noiva sobre seu desejo de casar-se ou não; simplesmente ela era dada como mulher ao pretendente marido. O acordo era feito entre os pais. O caso de Isaque e Rebeca é inusitado sob vários aspectos, demonstrando para nós, hoje, que Deus é realmente soberano sobre todas as coisas e que Sua ação sobre os que o amam vai muito além do que pedimos ou pensamos (Ef 3:20).

Que creiamos assim, para que Deus esteja presente em nossos atos, pensamentos, escolhas em toda e qualquer circunstância da vida.

Um romântico encontro.
O primeiro encontro entre Isaque e Rebeca aconteceu no campo, ao entardecer. O relato bíblico diz que Isaque saíra para meditar;

Será que havia ido, mais uma vez, consultar a Deus a respeito da vontade dele para sua vida?

Será que mal conseguia controlar a ansiedade, à espera do retorno de Eliezer? (Gn 24:63,64).

Pacientemente, Isaque esperou, antes de tomas sua noiva em seus braços e tê-la como mulher.
Ouviu ainda todo o relatório trazido por Eliezer. Depois, conduziu Rebeca á tenda de Sara, sua mãe, tomou-a como mulher e amou-a.

Desta história de casamento com contornos de beleza e romantismo, podemos tirar quatro lições:
“Quem ama, espera”. “O amor não se porta inconvenientemente, não busca seus próprios interesses... tudo espera, tudo suporta.” (1 Co 13:5,7). Isaque soube esperar a hora certa de estar a sós com Rebeca.

O ato sexual é sagrado. Deus criou o homem e a mulher para tornarem-se “uma só carne” (Gn 2:24), para desfrutar dos prazeres do ato sexual dentro do casamento. Para Isaque, no momento de tomar Rebeca como sua esposa era tão puro e sagrado que não hesitou em levar sua noiva até a tenda onde havia habitado sua mãe.

O casamento deve ser feito em amor. O casamento que tem as bases do amor é capaz de resistir a duras provas.(Ct 8:7)

Os laços do casamento são mais forte do que os laços entre filhos e pais. “Portanto, deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne” (Gn 2:24). Isaque amava demais a sua mãe, mas ela morreu. Isaque foi consolado com o amor da esposa.

Um casamento Monogâmico
Em “O dicionário da Bíblia”, diz Davis: “O casamento é uma instituição divina, constituída no princípio, antes da formação da sociedade humana. O Criador instituiu o matrimônio com a união de um homem e uma mulher. A pureza do matrimônio foi-se enfraquecendo pela conduta de homens que se deixavam governar por baixos motivos na escolha de suas esposas.” (Gn 2:18-24 e 6:5).

Por que Isaque escolher somente uma esposa? Exemplos de casamentos polígamos não lhe faltara; quase todos os seus antepassados tiveram mais de uma mulher.

Seria por ter resolvido, simplesmente, devotar todo o seu amor a Rebeca?

Seria pelo motivo de ser ele um homem que saia a meditar e orar ao Senhor?

Quando era menino, Isaque pôde conhecer os males que a poligamia produz: ciúme, inveja, competição e insegurança que presenciou entre as duas mulheres de seu pai. O que gerou conseqüências desagradáveis, pois jamais pode conviver com seu irmão, filho mais velho que seu pai teve com Hagar, a serva egípcia (Gn 16 e 21:9-21).

Que contraste podemos notar entre esta história de um casamento polígamo, com a beleza de um casamento entre um homem e uma mulher de acordo com os moldes que Deus criou.

“A tua mulher será como a videira frutífera, no interior da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira, ao redor da tua mesa.” (Sl 128:3).

Em todo tempo e lugar, a vida dos pais serve de exemplo para os filhos. O tipo de relacionamento e estilo de casamento que vivenciamos é o que os influenciará. Não é à toa que pesquisas revelam que é maior o número de divórcios entre filhos de pais separados do que de que permanecem juntos durante todas as suas vidas.

Que tipo de exemplo somos para os nosso filhos?

Aplicações para a vida
Do casal Isaque e Rebeca podemos tirar as seguintes lições:

Os pais devem começar cedo a orar pelo casamento dos filhos cultivando valores morais e espirituais dentro do lar, sendo eles mesmos bom exemplo.

A família, quando preserva a amizade, se preocupa com cada um dos seus membros e todos cuidam uns dos outros.

O casamento entre um homem e uma mulher, quando é orientado e aprovado por Deus e feito com amor, tem tudo para dar certo.

O ato sexual é puro, sagrado e só deve ser praticado dentro do casamento.

O casal deve das prioridade ao seu relacionamento, para que a força que os une seja bastante para resistir a qualquer dificuldade.

Maria, nossa irmã em Cristo

(Lucas 1.26-28)

Desejamos saudar as mães cristãs ao meditar sobre a mãe de Jesus, nosso Salvador, modelo de mulher cristã, modelo de mãe, modelo de mãe cristã. Falamos tanto em Pedro, Paulo, João, Barnabé, ou nas santas mulheres da Bíblia como Sara, Miriã, Débora, Ester, Maria Madalena, Marta e Maria, Priscila, mesmo a anônima samaritana, mas esquecemos de voltar os olhos, a mente e o coração para a mulher de coragem, submissa, dedicada, agraciada, serva de Deus que foi Maria de Nazaré!

Por outro lado, tentaremos desfazer a idéia errônea de não-evangélicos a respeito do relacionamento entre os cristãos evangélicos e Maria, nossa irmã na fé, e mãe do Redentor.

SUA PESSOA
O Novo Testamento tem pouco a dizer sobre Maria. É, na verdade, extremamente lacônico ao falar de sua vida. Não tem ela lugar de proeminência nos Evangelhos. Como diz uma autora católica "Parece até ausente do ministério de Jesus, seu filho" Dois dos evangelistas até deixam de colocá-la no início do relato (Marcos e João), pois a história da infância de Jesus, os chamados "Evangelhos da Infância", somente é relatada em Mateus e Lucas.

Suas últimas palavras registradas foram as do casamento em Caná da Galiléia (João 2.3). Fora esse episódio, quantas anotações temos do que falou? Em Mateus e em Marcos nada foi registrado. Em Lucas, (1) na cena da anunciação (1.34,38), (2) no Magnificat (1.46-55), e (3) em 2.48 quando Jesus já está com doze anos e fora levado para se tornar um bar mitzvá . E apesar de todo esse silêncio, a Outra Igreja procura construir um elaborado sistema de obras de Maria e de devoção à sua pessoa?!

Seu nome é a forma greco-latina do hebraico Miriam, nome da irmã de Moisés. No Novo Testamento, é registrada a presença de várias Marias: Maria Madalena, Maria, irmã de Lázaro e de Marta, Maria, a mãe de João Marcos, Maria, membro da igreja em Roma, e Maria de Nazaré.
De fato, morava em Nazaré. O Novo Testamento não o afirma, mas o chamado Proto-evangelho de Tiago declara terem sido seus pais Joaquim e Ana. Tinha cerca de quatorze anos quando ficou noiva de José, carpinteiro de profissão e descendente da casa real de Davi, da qual haveria de nascer o Messias.

Lucas descreve a cena do anúncio de haver sido escolhida para mãe do Messias (1.26ss). O mensageiro de Deus a chama de "agraciada", ou seja, que ela era alvo de um favor especial de Deus, e não que fosse fonte de graça. Esse favor, essa graça especial era ser mãe do "Filho do Altíssimo", mãe do filho do El Elyon (cf. 1.32)! Ora, senhoras e moças judias ansiavam pelo privilégio de ser a mãe do Ungido de Deus, porém Ele não buscou essa moça no palácio de Herodes nem nas camadas altas da sociedade entre os saduceus; fê-lo entre o povo, e agraciou uma jovem simples, pobre, surpreendendo, deste modo, a expectativa e mente de todos (cf. 1Co 1.27). Maria era tão humilde, simples e pobre que ao levar Jesus bebê a Jerusalém para o consagrar, e fazer o sacrifício ordenado pela Lei de Moisés (Ex 13 .2; Lv 12.1-3, 6-8), ofereceu dois pombinhos em vez de um cordeiro (Lc 2. 24).

Aliás, poderia ter dito "não" quando do anúncio, mas não o fez; poderia ter evitado todo o futuro sofrimento, aceitou-o, porém, com resignação e entrega absolutas. Suas Palavras o atestam: "Disse então Maria: Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra". (Lc 1.38a).

Concebeu do Espírito Santo como o diz Mateus 1.18 (cf. Lc 1.35) tornando-se entre as mulheres a única que pode ser chamada, como o foi por Isabel, "bendita" por trazer no ventre o "bendito fruto" do Eterno (cf. Lc 1.42).

IDÉIAS SOBRE MARIA
Dói-nos ter que abordar o que segue; preferiróamos não precisar mencionar certas questões de teologia popular e, lamentavelmente, também de teologia oficial a respeito da mãe de Jesus. Nosso objetivo não é atacar ou hostilizar a crença de ninguém. Mas, sim, examinar o que diz a Bíblia sobre certas atitudes, doutrinas, dogmas que desvirtuaram o lugar dessa extraordinária mulher cristã, bendita entre as demais.

As idéias não encontradas na Bíblia são: a imaculada conceição, a sua virgindade perpétua, a co-redenção, a sua assunção corporal aos céus, o título "Mãe de Deus", o culto a Maria. Tudo nasce da pergunta se Maria é salva ou salvadora. Diz a Bíblia que precisou ser salva, pois a própria Maria o afirma: "o meu espírito exulta em Deus meu salvador" (Lc 1.47). Pensar diferentemente leva aos dogmas que a Igreja majoritária tem formulado.

A imaculada conceição. É a idéia que para ser mãe do Salvador que não tinha pecado, ela mesma teria que ser isenta de pecado. Deus a teria, portanto, preservado já na sua fecundação da mancha do pecado original. Essa é uma idéia que não combina com a doutrina da Bíblia que ensina "Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; sendo justificados gratuitamente pela sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus" (Rm 3.23, 24).

Ter sido escolhida para gerar o Messias não significa ter sido concebida e nascida sem pecado, nem ter sido a mais perfeita mulher que já viveu. Esse dogma foi promulgado em 1854 pelo Papa Pio IX.

A virgindade perpétua ensina que a mãe de Jesus foi virgem antes, durante, depois do parto, e continuou a sê-lo durante sua vida de casada, de esposa e mãe. Tal doutrina foi definida pelo Concílio Constantinopla II em 553, e nasceu, sobretudo, do apreço à vida monástica (em franco progresso o ascetismo), e do menosprezo ao casamento considerado como estado inferior ao celibato. A insistência católico-romana na virgindade perpétua de Maria objetiva justificar o celibato dos seus sacerdotes e freiras. A Bíblia, no entanto, fala diferentemente: chama a Jesus de seu filho "primogênito" e não de "unigênito" .

Grávida virgem, deu à luz virgem, porém Mateus 1.25 ensina que após o nascimento (e a purificação subseqüente), passou a ter vida matrimonial perfeita e absolutamente normal:

"... e não a conheceu enquanto ela não deu à luz um filho; e pôs-lhe o nome de Jesus". (Mt 1.25).

E porque não é desdouro ser a mãe do Messias e mãe de outros filhos com seu marido, o Novo Testamento apresenta os nomes de seus filhos: Tiago, José, Simão e Judas, além das irmãs não nomeadas (cf. Mc 6. 3). Que divina sabedoria, o Espírito Santo ter permitido registrar o nome de seus irmãos! Há quem queira dizer que (1) seriam filhos de José de um casamento anterior, não há, porém, registro disso; ou primos de Jesus, no entanto, a palavra usada foi adelphos, pois existe outra, anepsiós que quer dizer "primo, sobrinho", não usada aqui pelos evangelistas.

Co-redenção de Maria junto à cruz do Calvário, ou seja, "sócia na obra da salvação". Uma coisa é dizer que Maria teve um papel único, exclusivamente seu na realização do plano de Deus para a salvação da pessoa humana; é dizer que os fatos da encarnação e do nascimento virginal são de tremendo significado para a Cristologia. Mas outra coisa é atribuir-lhe função salvífica, papel de salvadora e obra co-redentora.

Muita lenda tem surgido por falta de informação e estudo da Bíblia. Jesus ensinou que "errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus" (Mt 22.29), e por falta de conhecimento da Palavra Santa, há quem participe da Ceia (Eucaristia) nos cinco primeiros sábados (pois sábado é o dia do calendário que lhe é dedicado), esperando escapar do inferno sem que se preocupe com uma conduta digna do nome de cristão. E há quem dedique o dia de Sábado ao louvor de Maria que, segundo ensinam, visita o purgatório de onde leva muitas almas para o céu com ela. Quantos erros?! O purgatório?! a salvação após a morte?! Maria salvadora?!

Diz, no entanto o Novo Testamento: "Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem"( 1Tm 2.5).

"Seja conhecido de vós, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, nesse nome está este aqui, são diante de vós. Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta como pedra angular. E em nenhum outro há salvação; porque deibaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em quem devamos ser salvos" (At 4. 10-12).

Assunção. A doutrina é que Maria após a morte teria sido levada corporalmente para o céu, dogma que foi promulgado em 1950 pelo Papa Pio XII. Nenhum ensino bíblico há sobre isso.

Maria, "Mãe de Deus". Dogma definido no Concílio de Éfeso em 431, e baseado na idéia de que a sua maternidade diz respeito à pessoa inteira de Jesus. Portanto, se Jesus é homem e é Deus, Maria é mãe do homem Jesus e Mãe de Deus (?!) Fiquemos alerta que em lugar algum, o Novo Testamento a chama "Mãe de Deus". É mãe, sim, do filho de Deus. Nem "Mãe da Igreja". São ensinos estranhos ao evangelho. Mas foi "agraciada", bendita entre as mulheres, e exemplo corretíssimo de aceitação, obediência, dependência, submissão, subordinação e serviço a Deus.

O culto a Maria. Diz a doutrina da Outra Igreja que há três tipos de culto: latria (adoração exclusiva a Deus); hiperdulia (alta veneração só prestada a Maria); dulia (veneração aos santos, a lugares e objetos considerados santos). A Bíblia não se pronuncia sobre nada disso nisso! Ao contrário:

"Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que há em cima no céu, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás diante delas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam" (Ex 20.3-5).

A Bíblia não admite adoração a astros, estrelas, seres animais, pessoas humanas (At 10.25, 26), anjos (Ap 22. 8,9). E cada vez que isso acontecia, Deus exercia Seu julgamento: é só ler o Livro de Juízes, os sermões dos profetas, ou casos, como a morte de Herodes (At 12.21-23).

O culto a Maria é uma desonra a Deus por causa da proibição do uso de imagens. É o problema de se acrescentar algo mais à verdade da Bíblia.

Pois não há sinais de veneração, culto, ou hiperdulia a Maria no Novo Testamento. Os magos do Oriente não prestaram adoração à estrela, nem a José ou a Maria, mas a Cristo (Mt 2.11); seus presentes foram dados não a Maria ou a José, mas a Jesus; os apóstolos nunca oraram à mãe de Jesus nem lhe prestaram honras especiais; Pedro chamado o primeiro papa, Paulo e Tiago não a mencionam em suas cartas; mesmo João, que dela cuidou até sua morte, não a menciona (Jo 19.27). Instalada a Igreja no Pentecoste, o nome "dado entre os homens, em que devamos ser salvos" é o de Jesus (At 4.12). Um caso que poderia ter sido o primeiro de veneração a Maria foi rechaçado e corrigido na hora por Jesus:

"Ora, enquanto ele dizia estas coisas , certa mulher dentre a multidão levantou a voz e lhe disse: Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os peitos em que te amamentaste. Mas ele respondeu: Antes bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus, e a observam" (Lc 11.27, 28).

É chamada "Rainha dos Céus" (Regina Coeli) título monstruoso porque era dado à deusa da fertilidade de Canaã, Astarte: "Os filhos apanham a lenha, e os pais acendem o fogo, e as mulheres amassam a farinha para fazerem bolos à rainha do céu, e oferecem libações a outros deuses, a fim de me provocarem à ira" (Jr 7.18; cf. 44.17-19, 25).

O culto de Maria iniciou-se após o quarto século.

COMO NÓS - OS EVANGÉLICOS - A VEMOS

Honramos a Maria, mãe de Jesus, com a mesma homenagem que a Bíblia lhe presta: "bendita entre as mulheres" (Lc 1.42), e reconhecemos que ela foi o vaso que trouxe a água da vida, Ela não é a água da vida, o pão da vida, o caminho, a verdade, ou a ressurreição e a vida.

Com todas as gerações nós a chamamos "bem-aventurada" porque cria na palavra de Deus (Lc 1.48), mas não a deificamos, cultuamos ou oramos a ela. Ao contrário, com ela cultuamos o Filho de Deus; não cultuamos através dela como se medianeira fosse. Essa é a ilusão do movimento "Peça à mãe que o filho atende", que não tem base na Bíblia, que, contrariamente, ensina "... tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda" (Jo 15.16; cf. 14.13, 14). Ou seja, "Peça ao Pai em nome do Filho, que Ele atende".

Nós a reconhecemos como "bem-aventurada", ainda, porque na sua dedicação à vontade de Deus, na sua fé, na sua obediência, é exemplo para nós. É exemplo e modelo a ser imitado não mais, porém, que outros do Antigo ou do Novo Testamento.

Nós a vemos como mulher de louvor, oração e piedade. Seu cântico em Lucas 1.46-55, e que se assemelha em forma e conteúdo ao de Ana (1Sm 2. 1-10), é uma linda página de sensibilidade e profunda espiritualidade.

Atos 1.14 apresenta Maria em oração com outros crentes, sem ter, porém, autoridade e prioridade sobre o grupo. Piedosa, realizou todos os ritos fixados pela Lei: a circuncisão, a purificação, a apresentação no Templo, e ano a ano realizava uma peregrinação a Jerusalém na Páscoa. Após o nascimento de Jesus, trouxe duas ofertas. Uma era queimada (simbolizava completa rendição à vontade de Deus); a outra era oferta pelo pecado (cf. Lv 2.22-24; 12.6-8).

Queremos insistir no fato que Maria foi mulher de profunda sensibilidade espiritual. Sua fé e sua disposição de servir a Deus nos chamam a atenção, por isso deu uma atenção cuidadosa, à educação de seu filho nas tradições religiosas do seu povo, o povo judeu.

Mas ela sabia que precisava de um Salvador (Lc 1. 47). Tinha absoluta consciência de que Jesus era, não só humano, mas também divino e enviado por Deus (Gl 4.4) . Lucas 2.18 e 51 nos mostram que ela meditava cuidadosa, profunda e assiduamente sobre seus deveres. É o protótipo da mulher de reflexão; é o modelo, exemplo da esposa cristã ideal.

Maria deixou um mandamento: "Fazei tudo quanto Ele [Cristo] vos disser" (Jo 2.5). Confessa ter confiança plena no poder divino do seu filho.

"FAZEI TUDO QUANTO ELE VOS DISSER"

Que é o que Ele diz? Entre outros ensinos:

"Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, porém, desobedece ao Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus" (Jo 3. 36).

"Quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo mas já passou da morte para a vida" (Jo 5.24).

"Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, salvá-la-á" (Mc 8. 34,35).

Isso significa que é preciso um Salvador pessoal, fé nesse Salvador e obedecer-lhe.
Cristo nosso Salvador!

Sansão e Dalila - Casamentos da Bíblia

O preço da desobediência na vida conjugal

No mundo inteiro, há milhares de casais sem qualquer referencial de fé no Deus único e verdadeiro. Milhares de filhos estão sendo criados num ambiente de total ausência de Deus. Não há nem mesmo algum referencial religioso, ético, moral, etc.

Nenhum de nós daria início a um relacionamento afetivo achando, previamente, que os resultados serão de muita dor e sofrimento. Todos nós buscamos um relacionamento a dois que resulte em felicidade, alegria, saúde afetiva, etc.

Sansão um juiz de Israel
A história do livro de Juízes tem especial destaque para a opressão dos filisteus sobre Israel. Os filisteus serviam como instrumentos de Deus a fim de testar a dedicação e a consagração do povo ao Senhor (Jz 3:1-3).

Sansão é extremamente destacado no livro de Juízes. Seu nome significa “Radioso, Pequeno Sol”. Tornou-se um dos maiores juízes de Israel. Filho de Manoá, da tribo de Dã. Era natural de Zor. Sansão, desde o ventre materno, foi escolhido por Deus para ser o libertador de Israel. Sansão foi nazireu desde o seu nascimento, sendo conhecido como o homem mais forte da Bíblia (Jz 13). Seu personagem é marcado pelas suas façanhas, mas faltava-lhe o domínio próprio. NAZIREU Israelita, homem ou mulher, que fazia voto de dedicação ao serviço de Deus por algum tempo ou por toda a vida {Nm 6.1-21}.

Sansão foi uma figura carismática, mas estava sempre cedendo à tentação da volubilidade (Jz 16:20). No entanto, Sansão teve um belo epitáfio (Jz 16:30). Deus, que está no controle de todas as coisas, foi, na verdade, o grande vitorioso e o grande redentor de Israel, a despeito dos fracassos de seus grandes heróis.

Sansão foi um homem de temperamento colérico. Juízes 14:20 nos informa que ele rompe com a esposa (noiva), em Timna, durante a festa de casamento. O pai da moça tentou oferecer-lhe a filha mais nova e tal fato o deixou ainda mais furioso (Jz 15:2). Sansão vingou-se dos filisteus amarrando tochas acesas nas caudas de 300 raposas presas em pares.

Dalila uma mulher sedutora
Tudo parecia dar certo para Sansão. Governou sobre Israel por vinte anos. Mas, de repente, surge uma mulher em sua vida: Dalila (Jz 16:4). Dalila era da cidade de Gaza. Mulher experiente, sedutora, buscou descobrir a maneira de vencer Sansão. E ele não resistiu aos encantos da mulher.

Dalila foi uma linda mulher, que vivia no território dos filisteus, no vale de Soreque. Eram inimigos do povo de Israel (Jz 16:4). Dalila significa “Delicada”. Sua missão era casar-se com Sansão, a fim de seduzí-lo e descobrir, assim, o segredo de sua força. Pela sua sedução, conseguiu casar-se com Sansão. Casada, tentou de todas as formas descobrir a forma incomum do marido. Importunou-o tanto que acabou conhecendo o segredo da força de Sansão. Após descobrir, sua primeira atitude foi comunicar aos filisteus, que o prenderam, furando-lhe os olhos e atando-o a correntes de bronze.

Pela sua astúcia, Dalila descobriu que a força de Sansão dependia do comprimento de seus cabelos. Sua prisão, na verdade, foi facilitada pelo fato de que, quando dormia, cortaram-lhe as sete tranças (Jz 16:6-22). Toda essa trama de Dalila causou a morte de Sansão. No entanto, Deus o usou antes de sua morte para destruiu milhares de filisteus (Jz 16:26-30).

O perigo das grandes paixões
Sansão tornou-se presa fácil nas garras de uma mulher sedutora e capaz de tudo para alcançar seus propósitos. O casamento de Sansão com Dalila foi tipicamente um casamento de interesses espúrios. De um lado, percebemos um homem vulnerável, vaidoso, orgulhoso de sua força, com uma tendência enorme à promiscuidade sexual. Do outro lado, surge Dalila, que pertencia a povos inimigos de Israel. Os dois foram tremendamente egoístas. Sansão querendo satisfazer sua sede insaciável de mulheres. Dalila querendo descobrir sua força para entregá-lo ao seu povo.

Sansão não poderia casar-se com Dalila. Paixão nada mais é do que uma caricatura do verdadeiro amor. O que uniu Sansão e Dalila foi à química da pele, foi à atração física, com interesses profundamente políticos e religiosos, por parte da mulher. Havia uma grande incompatibilidade religiosa entre os dois. Dalila não acreditava em Deus. Era uma mulher pagã. Por outro lado Sansão recebera de Deus um ministério especial. Era um homem consagrado, separado para Deus. Mas aquiesceu às concupiscências da carne e dos olhos, optando por desobedecer a Deus, para obedecer aos seus caprichos. Eis o grande perigo para os servos e servas de Deus. Os riscos são gigantescos, quando perdemos a noção de nossa comunhão com Deus, de nossos votos e compromissos, perdemos a noção de sua vontade. E aí, quando percebemos, já estamos em pecado.

O sábio Salomão nos adverte quando às paixões. Elas nos cegam, obscurecem nosso entendimento e pervertem o caminho do homem, ao ponto de conduzi-lo à ruína (Pv 710-23).

Resultados Desastrosos
O relacionamento desse casal teve marcas profundas de violências verbais. Dalila o importunava diariamente, buscando descobrir o segredo de sua força. Certamente que isso resultaria em grandes discussões, brigas, etc. imagine todos os dias a mulher dizendo ao marido: “fala, meu bem; fala, meu bem”. A violência verbal é aquela na qual as palavras se tornam aguilhões, espadas capazes de chegar até o mais fundo do coração e ali fazer profundas feridas. Quem de nós um dia já não lançou palavras, setas com endereço certo. Sabemos qual o ponto fraco do marido, da esposa, dos filhos, do irmão e então laçamos aquelas palavras que, no calor da discussão, se tornam verdadeiras bombas capazes de explodir sentimentos dos nossos familiares.

Infelizmente não havia amor no casamento de Sansão com Dalila. Havia interesse. Dalila amava mesmo era o seu povo. Ela amava, sim, seus interesses e a grande oportunidade de se promover a partir daquela relação, fadada ao fracasso. Quando os interesses pessoais e egoístas são maiores do que o próprio amor, o casamento está fadado à morte. É impossível uma família sobreviver diante das crises, problemas e atritos, sem a presença do amor. O amor é a base para a sustentação dos lares e nele os lares precisam estar apoiados. Com certeza a família é uma instituição ameaçada, mas não derrotada, pois o amor tudo vence.

Alguém, sabiamente, já disse: “quem mexe com a paixão está criando para si traição”. Sansão traiu ao seu Deus e foi traído pela paixão de uma mulher. Foi uma tremenda derrota para este homem de Deus.
Conta-nos à história que a dor tomou conta de Sansão.
· Primeiramente, a dor afetiva. O sentimento de ser traída invadiu sua alma e seu coração.

· Depois veio a dor física: seus olhos foram vazados pelos filisteus;

· Depois a dor do trabalho forçado;

· A dor de ser humilhado perante os inimigos;

· A dor do vexame. Sansão havia se tornado motivo de riso de seus inimigos e de tristeza de seu povo.

Conclusão
Sabemos que o grande problema de Sansão foi o de não ter procurado obedecer à voz de Deus e nem ter tentado conduzir sua esposa à presença de Deus. Tudo aponta para a direção de que Sansão havia abandonado seus princípios religiosos. Ele, na verdade, havia abandonado o Senhor. Pelo menos, no que diz respeito ao seu voto de nazireu. Portanto, é no afastamento do Senhor que perdemos nossos referenciais. Quando nos afastamos de Deus nossos olhos ficam como que vendados e aí passamos a ver as coisas apenas na nossa perspectiva. Perdemos a noção dos planos de Deus para a nossa vida.

No final da vida, Sansão, em meio a toda dor, arrependeu-se genuinamente (Jz 16:28-31). Pela misericórdia de Deus (v 30), ele entrou para a galeria da fé, visto que “a misericórdia de Deus nos dá força para continuar na luta”.

Aplicações para a vida
Do relacionamento de Sansão com Dalila aprendemos importantes lições:
1. A arrogância espiritual pode nos insensibilizar quanto à vontade de Deus;

2. A desobediência a Deus pode nos causar danos irreparáveis;

3. Um casamento sem a benção de Deus tem tudo para não dar certo;

4. Na vida conjugal devemos usar nossas palavras para edificar nosso cônjuge;

5. Devemos sempre conhecer o propósito de Deus para nossa vida pessoal e fazer do casamento a expressão da glória de Deus;

6. Qualquer atração sexual fora do casamento é pecado e deve ser confessado a Deus.
Além do ponto final

A experiência de conviver no casamento com uma pessoa de outra religião pode se apresentar em três condições:
1. Pode acontecer após o casamento, quando um dos cônjuges decide abraçar a fé evangélica.

2. Se apresenta antes do próprio enlace matrimonial, quando o noivo ou a noiva cristã toma a decisão de se casar com uma pessoa que professa outra crença que não seja a da sua experiência evangélica.

3. Acontece quando marido e esposa são crentes, mas por uma determinada causa, um deles resolver abandonar a fé.

Nas três possibilidades, o desafio de testemunhar a fé cristã é grande. No Segundo caso, é preciso que o cônjuge crente tenha consciência de que falho no que concerne ao ideal de Deus para o casamento (2 Co 6:14-16). Em todos os casos, o desafio está em influenciar o cônjuge não-crente a ter uma experiência de conversão. É preciso que o cônjuge crente tenha em mente coisas importantes.

· É preciso que o cristão saiba que é da vontade de Deus que toda a família seja salva (At 16:31),

· É importante testemunhar, principalmente com as atitudes, na família e no relacionamento conjugal. O cônjuge crente deve viver, no dia-a-dia da vida conjugal as orientações bíblicas.

i. No caso das esposas, o texto de 1Pd 3:1-6 deve ser a bússola para influenciar positivamente o marido.

ii. Para os esposos, cujas esposas não são cristãs, as recomendações de 1 Pd 3:7 e de Efésios 5:25-32 são importantíssimas para sensibilizar o coração da esposa e facilitar sua decisão por Cristo. Em:

· É importante orar.
o Orar por si, para que Deus dê condições de viver os textos acima citados.

o Orar para que o espírito trabalhe no coração do cônjuge que está distante de Deus e da sua igreja.

o Pela oração, podemos aproximar o esposo ou a esposa de Deus. Pela oração, vemos o nosso cônjuge salvo por Cristo.

Uma atenção deve ser dada às atividades na igreja. Nosso alvo maior é fazer com que nosso cônjuge conheça a Cristo como Salvador. Não devemos criar atritos de querer levar o cônjuge a uma atividade da igreja. Nosso alvo é trazer Cristo para a vivência conjugal. Sua participação na igreja, após a conversão, será natural. Por último, deixemos que o Espírito Santo faça a obra (Jo 16:7-11). Nosso papel é testemunhar com a vida.

Caminhando com DEUS

Caminhar com Deus é vitória garantida! Quem esta com Deus vive melhor! Com Deus tudo se torna mais fácil! A provação que tem passado, não é nada! Assim é a vida de quem caminha com Deus!

Quem está na presença de Deus é tentado todos os dias! È perseguido até o fim. Mas Deus dá forças para caminhar! Ele cuida dos teus filhos. Jamais deixará os seus filhos desamparados!
Caminhar e caminhar, só nos resta caminhar sem parar, seguir em frente.

Não volte para trás! Vá em frente, entregue tudo nas mãos de Deus, e continue caminhando.

Caminhar é o que nos resta! Só caminhar, sem nunca parar!

Caminhar com Deus!

Caminhar com os seus!

Caminhar com aqueles que estão estacionados na fé!

Uma caminhada nos faz bem!

Não pare meu irmão, por mais difícil que esteja, não pare! Isso só servirá de atraso!

Meus irmãos, vão, caminhem, só caminhando é que chegamos onde almejamos. Sem caminhada, não tem chegada! Porque pára? Porque sofre? Porque lamenta? Porque do desespero? Porquê? Vive de um lado para o outro? Assim não dá! Você ESTACIONANDO NA FÉ! Quem para, corre o risco de desanimar! É um mal que vem destruindo uma boa parte do povo de Deus! Não permita que o DESÂNIMO ENTRE EM SUA VIDA! Não deixe isso acontecer! É ele a causa de toda desgraça! Essa é a arma que vem destruindo a vida dos cristãos!

Muitos não imaginam o rombo que o desânimo causa em nossas vidas!

Maldito desânimo! É ele que faz a fé ir se desfazendo! É ele que vai te afastando da graça de Deus! E te transformando num monstro humano! Isso é doido! Como dói! ESTRESSE, DEPRESSÃO, ANGÚSTIA! Esse é o fruto do desânimo! E pode te levar a morte!

Meus irmãos, não deixem o desânimo invadir o seu coração! É ela a causa de toda a desgraça social!

Coragem meus irmãos, mostrem que vocês são fortes! Dêem um chute em tudo isso! Não vai te levar a lugar nenhum! Só te levará para miséria!

Veja bem a sua vida! Faça uma análise! Te convido a sair dessa!

Vamos caminhar juntos! Voltem para graça de Deus! A sua vida em si, já é um estado de graça! Que maravilha, levante a cabeça!

Dê uma sacudida nas misérias! Jogue-as para o chão! É lá o lugar delas! Não em você! Você é filho de Deus! Você não merece isso!

Você foi liberto pelo sangue do Cordeiro! Tudo que você está passando é um nada nas mãos de Deus! Isso mesmo, não é nada!

Deus é maior que tudo isso! Se você estiver parado, comece a caminhar! Uma caminhada de fé mostre para esse problema o tamanho do seu Deus! Isso não é nada perante Deus!

Meus irmãos, é hora de aquecer esta fé que mora em você! É pela fé que todo mal vai embora! Se sua fé esfria, o mal prevalece! O sofrimento é simplesmente a falta de fé! Peça a Deus que aumente a sua fé!

Vamos caminhar juntos! Na fé, na esperança e na caridade! Só assim vamos encarar os problemas de frente! Vá em frente, você é capaz!

“Caminhar com Deus é vitória garantida”


Seus Irmãos em CRISTO,


Claudio, Luciana e Isabelle..

Hospital do Senhor

CHECK-UP

Fui ao “Hospital do Senhor”, fazer um check-up, e constatei que estava doente. Quando Jesus mediu minha pressão, verificou que estava de baixa Ternura. Ao tirar a Temperatura. O termômetro registrou 40 graus de Egoísmo. Fiz um Eletrogardiograma, e foi diagnosticado que necessitava de uma ponte de Amor, pois minha artéria estava bloqueada, e não abastecendo meu coração vazio. Passei para ortopedia, pois estava com dificuldade de andar lado a lado com meu irmão, e não conseguia abraça-lo por ter fraturado o braço ao tropeçar na minha Vaidade. Costatou-me miopia, pois não conseguia Enxergar além das aparências.

Queixei-me de não poder ouvi-lo, e diagnosticou bloqueio em decorrência das Palavras Vazias do dia-a-dia.

Ao diagnosticar, o Senhor não cobrou a consulta, e ainda me medicou com o melhor dos remédios naturais: O receituário do seu Evangelho.

· Ao chegar ao trabalho, beber uma colher de sopa de bom dia, e de hora em hora um comprimido de paciência com um copo de humildade;

· Ao chegar em casa, tomar diariamente uma injeção de amor;

· Ao deitar, duas cápsulas de consciência tranquila + chá de agradecimento.

Autor Desconhecido.

Conclusão:
Seguindo o receituário do Evangelho, tenhamos a certeza de que não ficaremos mais doente e todos os dias serão de confraternização e solidariedade. Mas é preciso prolongar esse tratamento preventivo por toda a nossa vida, para quando nos chamar seja por morte natural.


Lendo este Editorial, o que entendeu dele sobre:
Ternura: é termos carinho, afeto e dedicação ao próximo;

Egoísmo: Por muitas vezes só queremos ser amado, só queremos ser ouvidos,”e ouvir coisas que nos agradam, e esquecemos de doar o que temos, até mesmo um sorriso.

Amor: “A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros, porque quem ama aos outros, cumprea lei.” (Rom. 13:8).

· Se não amamos somos amargurado, tudo se torna feio, e todos tem os piores defeito. Abramos nosso coração para amarmos nosso próximo, se acharmos difícil existe uma ponte para cheguarmos mais perto dele, essa ponte é Deus. Se deixarmos Deus ser essa ponte, nossa Artéria jamais bloqueará.

· Andar lado a lado com o próximo: Sempre estamos ocupando nossos braços, mente, que nos esquecemos de estender a mão ao nosso próximo, por muitas das vezes esquecemos principalmente de ocupar nossa mente com coisas sádias, e a deixemos ser oficina do diabo. Deixamos a vaidade do mundo nos envolver de tal forma que achamos que podemos caminhar sozinhos, então nos afastamos de pessoas que sentimos tanto afeto.

· Miopía: é preciso enxergarmos as coisas erradas em nós mesmo, fazendo enxergar nossos próprios defeitos.

· Timpanos: É preciso bloquear nossos Tímpanos, com palavras que não agradam a Deus. E desbloquear para ouvir palavras sádias, que edifique nossas vidas, e que alimente o nossos Espírito.

Receituário:
*Paciência: “Pelo contrário, em tudo recomendando-nos a nós mesmo como ministro de Deus, na muita paciência, nas afliçoes, nas privações, nas angústias.” Paciência (Raiz de todos os bens.) Fundamento da vida Cristã.

*Humildade: Nada façais por vangloriar, mas por humildade; cada um considere os outros

*Amor: Ame uns aos outros, de tal maneira que vos ameis.

*Consciência: “Por isso, também me esforço por ter sempre consciência pura diante de Deus e dos homens.”

Cada vez que vejo o filme A Paixão de Cristo, caio na realidade de que cada vez mais preciso ir ao Hospital do Senhor.

Diante de tudo que Jesus Cristo sofreu por nós, somos muito egoísta, pequenos, preocupantes com picuínasm enxergante dos defeitos do outro.

Quando li este texto, percebi que eu precisava o mais rápido possível fazer esse Check-Up.

União de Casados PIBA

Um departamento de casados que nasceu no coração de Deus, e teve seu início no dia 07/09/2004, e com 6 casais apenas deu-se o início a esta organização chamada UNIÃO DE CASADOS.

Tendo o objetivo de direcionar e orientar, dinamizar e promover a integração entre os casais da PIBA através de estudos doutrinários sobe a perfeita forma de viver uma vida conjugal com Amor, Respeito Mútuo, Elogios, Reverência e Gratidão aos pés do Senhor.

Realizando estudos, orações, lazer entre os casais participantes e fazendo da família um grande instrumento de evangelização segundo o seu viver de acordo com a vontade de Deus.

Ore! Divulgue! Participe!

obs: conheça nosso blog http://uniaodecasados.blogspot.com
/

Disk Emoções Telemensagem 2665-8933 e 2661-6775

  • Aniversários
  • Cd's Personalisados
  • Cestas de Café da Manhã e da Tarde
  • Cestas de Chocolate
  • Cestas de vários tipos e ocasiões
  • Conquistas
  • Datas Comemorativas
  • Desculpas e Perdão
  • Despedidas
  • Evangélicas
  • Formaturas
  • Otimismo
  • Românticas
  • Vitórias

Lucimar Seguros de Auto Tel: 22 2664-2045 e 9853-1587

  • Agf
  • Bradesco
  • Indiana
  • Sulamérica

Floricultura Marco Decorações 2665-2480 e 92339740

  • Arranjos
  • Bouquet
  • Bouquet de 15 anos
  • Bouquet de Dama
  • Bouquet de Noiva
  • Corbélia
  • Coroa de Flores
  • Ornamentação Data Especial
  • Ornamentação para Aniversários
  • Ornamentação para Casamento
  • Ornamentação para qualquer momento

Vídeos Preferidos

Loading...

Previsão do Tempo